Vagas para (64) Conselheiros

Vagas para (64) Conselheiros
Vagas para (64) Conselheiros

19 fevereiro, 2019

RECEBA VAGAS NO SEU EMAIL:  
Informamos que todas as oportunidades de emprego publicadas no site EMPREGO.INFROMOZ, sem excepção, não implicam qualquer custo para os candidatos

RHDC- CONSULTORIA & SERVIÇOS LDA, é uma empresa de Consultoria em Recursos Humanos, de direito Moçambicano que opera nas áreas de Agenciamento de Emprego, Recrutamento e Selecção, Formação Profissional, Avaliação e Desenvolvimento de Competências, Trabalho Temporário, pesquisas entre outras áreas.

A nossa Cliente é a FUNDAÇÃO ARIEL GLASER CONTRA O SIDA PEDIÁTRICO (ARIEL), uma ONG Nacional que trabalha em parceria com as Direcções Provinciais de Saúde, Serviços Distritais de Saúde da Mulher e Acção Social (SDSMAS) e Hospitais Rurais (HR) nas Províncias de Maputo e Cabo Delgado. Apoia a implementação, acesso e expansão dos Serviços Clínicos de HIV integrados e de qualidade, especificamente o Programa de Saúde Materno Infantil (SMI) /Prevenção de Transmissão Vertical (PTV), Cuidados e tratamento Anti – retroviral (TARV) para Crianças e Adultos e apoio psicossocial através de uma abordagem de Fortalecimento do Sistema Nacional de Saúde. E, no âmbito da consolidação da sua estratégia, através da sua parceira com  a RHDC- Consultoria & Serviços Lda, pretende recrutar Conselheiros para:

Cabo-Delgado – 07 Ancuabe; 02 Balama; 12 Chiure; 05 Pemba; 02 Macomia; 01 Mocímboa da Praia; 13 Montepuez; 05 Mueda; 08 Muidumbe;  09 Namuno;

 

 

CONSELHEIROS (m/f):

 

 

 

 

OBJECTIVO DA FUNÇÃO:

 

O conselheiro leigo é responsável por realizar actividades de aconselhamento e de educação em saúde para os utentes e familiares nas Unidades Sanitárias, nos diversos serviços: Aconselhamento e educação para os doentes crónicos, (TB, HIV – ATS & TARV/Adesão, IO, Diabetes, Hipertensão), Saúde Sexual e Reprodutiva, Saúde Infantil e do Adolescente, Saneamento do Meio, seguimento e gestão dos GAAC, etc. a fim de encorajar a prevenção e/ou correcto seguimento do tratamento destas doenças, garantindo um ciclo de cuidados contínuos em saúde.

RESPONSABILIDADES:

 

2.1) Aconselhamento e Testagem (AT):

 

  1. a) Aconselhamento para a testagem em HIV, pré e pós-teste aos utentes voluntários e/ou pacientes referidos por outros sectores (enfermaria, consultas externas, SMI, PNCT, etc.) referenciando casos positivos para seguimento nos Serviço TARV;
  1. b) Realizar despiste de Tuberculose e ITS, referenciando para o clinico os casos suspeitos para devido seguiment

 

2.2) Aconselhamento para adultos e crianças:

 

  1. a) Acolhimento inicial. Abertura de processo clínico a crianças e adultos incluindo grávidas e lactantes;
  2. b) Realizar aconselhamento a pacientes que iniciaram TARV (sessões pré-TARV);
  3. c) Realizar aconselhamento a pacientes que apresentam risco de baixa adesão no contexto clínico considerando o perfil de abandonos de cada provincia.
  4. d) Preencher ficha de seguimento de aconselhamento, reportando informações relevantes quanto ao seguimento psicossocial de cada paciente;
  5. e) Identificar crianças e adolescentes para revelação do sero estado e em conjunto com o Oficial de Programa ou o psicólogo/clinico da US proceder a revelação diagnósti
  6. f) Diariamente visitar enfermarias (adultos e pediátrica), prestando apoio psicossocial a pacientes inscritos no Serviço TARV e suas famílias, velando para que não haja perda de seguimento durante o tempo de internamento.
  7. g) Apoiar as enfermeiras de SMI no seguimento das mulheres grávidas e lactantes no âmbito da PTV e CCR;
  8. h) Aconselhamento de sensibilização para a Prevenção Positiva

 

2.3) Educação para saúde:

 

  1. a) Incentivar a formação de grupos de apoio a pacientes com doenças crónicas dentro da Unidade Sanitária;
  2. b) Educação nas Unidades Sanitárias sobre várias doenças endémicas/sazonais características de cada região/zona;
  3. c) Realizar palestras educativas, sensibilizando utentes de todos os sectores da Unidade Sanitária acerca de mensagens de promoção de saúde;
  4. d) Educação para promoção de bons hábitos de higiene e segurança alimentar;
  5. e) Participar eventualmente em actividades de capacitação dos grupos comunitários na comunidade, comunicando mensagens de promoção de saúde, redução do estigma/discriminação, etc.

2.4) Gestão e seguimento dos GAAC:

 

  1. a) Apoiar equipe clínica na sensibilização dos pacientes com critérios para inclusão no GAAC;
  2. b) Aconselhar o paciente sobre as vantagens de inclusão no GAAC e necessidade de seguimento de adesão;
  3. c) Receber os membros do GAAC e avaliar adesão ao TARV de forma individual e grupal;
  4. d) Participar no processo de capacitação dos pontos focais dos grupos para disseminação de mensagens correctas de adesão;
  5. e) Participar do processo de supervisão periódica nos encontros dos grupos, para avaliação da responsabilização existente no grupo e componentes de auto-ajuda.

2.5) Seguimento dos Pacientes em TARV e Gestão dos ARVs na Farmácia:

  1. a) Registar o levantamento de ARVs na FILA com recurso as receitas médicas;
  2. b) Gerir o ficheiro móvel (FILA) na Farmácia, SMI e TB (paragem única);
  3. c) Identificar e separar FILAS de faltosos e abandonos, em seguida efectuar o preenchimento no respectivo livro (faltosos e abandonos);
  4. d) Apoiar a entrega diária de FILAS actualizados ao sector de digitação para actualização do e-PTS;
  5. e) Apoiar o registo de levantamento de ARVs dos pacientes de fluxo rápido na agenda;
  6. f) Apoiar o Técnico de Farmácia a registar o levantamento de ARVs no LRDA;
  7. g) Apoiar a ESMI a registar o levantamento de ARVs no livro de registo de medicamentos ARVs para PTV;
  8. h) Actualizar os levantamentos de ARVs nas FILAs de todos os membros dos GAAC;
  9. i) Apoiar a compilar e manter actualizada uma lista de criancas que estão a tomar Kaletra (LPV-R) – (Nome, NID, idade, data inicio e regime);
  10. j) Apoiar a compilar e manter actualizada uma lista de pacientes em segunda linha (Nome, NID, idade, data inicio segunda linha e regime).

 

2.6) Ligação entre serviços:

 

  1. a) Fazer seguimento dos pacientes referenciados para Apoio Psicossocial;
  2. b) Participação regular em encontros multidisciplinares de coordenação do TARV;
  3. c) Colaborar para o bom andamento das actividades em equipa multidisciplinar;
  4. d) Facilitar o fluxo de atendimento e acompanhamento dos utentes entre os diversos serviços da Unidade Sanitária (PNCT, Serviço TARV adulto e pediátrico, Enfermaria, CPN, SAAJ, CCR, FARMÁCIA, etc.);
  5. e) Identificar os recursos disponíveis na comunidade e estabelecer sistemas de referência e contra-referência de acordo com as  necessidades  identificadas  e  de  acordo  com  a  realidade  onde  actua  (cuidados  domiciliários,  busca  activa  de faltoso/abandonos ao Serviço, visitas domiciliares, apoio alimentar, etc.).

 

 

Requisitos

  1. a) 10a. Classe;
  2. b) Idade inferior a 35 anos;
  3. c) Fluência língua portuguesa & língua local;
  4. d) Formação em aconselhamento em saúde e HIV;
  5. e) Habilidade para educação e aconselhamento em saúde assim como trabalho social;
  6. f) Boa capacidade de comunicação;
  7. g) Espírito de equipa, flexibilidade e diplomacia.

 

Se reúne os requisitos já enumerados e tem experiência comprovada, envie os seguintes documentos:

Carta de Motivação, Bilhete de Identidade autenticado, Certificado de Habilitações Literárias autenticado, Curriculum Vitae detalhado em formato word e em Português. Os interessados devem submeter as candidaturas aos Serviços Distritais de Saúde Mulher e Acção Social (SDSMAS) correspondentes aos distritos na qual se candidatam, até ao dia  22. 02. 2019.

 

VAGAS NÃO SE PAGA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *